Pesquisa aponta a existência de vírus em amígdalas de pacientes totalmente assintomáticos e a permanência por tempo indeterminado

A análise de tecido de 48 crianças, que fizeram cirurgia para retirar amígdalas no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, mostrou a presença de diversos tipos de vírus. A maioria desses pacientes tinha histórico de rinite ou asma. Entretanto, todos eram totalmente assintomáticos para as patologias desencadeadas pelos vírus detectados.

Na pesquisa, houve o registro de 25% de casos de Covid 19 em crianças. Nenhuma era vacinada. Todas assintomáticas. O vírus permanece nas amídalas por tempo indeterminado.

Essa pesquisa é intitulada de: “SARS COV-2 Lymphoid Infection: Productive infection in PBMC and silent infection in human tonsils”. Foi apresentada pelo pós-doutorando  no Centro de Pesquisa em Virologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Ronaldo Martins. 

O 7th International Symposium on Immunology and Hematology é um evento que transcende para várias áreas além da Saúde, haja vista que depois do início da pandemia de Covid 19 foi possível ver a importância das pesquisas para a população. Sua realização é na capital do Amazonas, Manaus, até o dia 2 de dezembro de 2022. A organização é uma parceria entre a Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

Ana Célia Costa

Acadêmica de Fisioterapia

Jornalista (DRT 326)

Pesquisa acerca da Fisioterapia Pediátrica na França

Ao contrário do Brasil, a Fisioterapia Pediátrica é uma especialidade reconhecida na França desde 2019 depois de mobilização da categoria dos fisioterapeutas (kinésithérapeutes) desde 2004. Após o início da pandemia de Covid-19, novas abordagens são estudadas na Fisioterapia e isso se aplica também à área da Pediatria.

Desta forma, o trabalho visou fazer uma revisão de literatura acerca da Fisioterapia Pediátrica na França entre 2020 e 2022 por meio da seleção, análise e categorização de artigos científicos.

A comunicação científica na área da Saúde mostrou que é primordial principalmente após o óbito por Covid de mais de 5.376 crianças menores de 5 anos no mundo, segundo a Unicef.

Leia aqui o artigo científico na íntegra.

Ele já foi apresentado no Congresso Científico Concifa e na XI Jornada de Fisioterapia.

Ana Célia Costa

Acadêmica de Fisioterapia

Jornalista (DRT 326)

Fisioterapia – o principal avanço é o olhar para o paciente. É pensar para além do que está nos laudos

Mais de 200 alunos participam da XI Jornada de Fisioterapia da Fametro, em Manaus, Amazonas. O primeiro dia de evento mostrou a importância do acolhimento aos pacientes com suas devidas limitações e a necessidade de avaliação dos pacientes para além do que é apresentado em exames.  O tema do evento é “Reabilitação funcional: das técnicas milenares aos avanços tecnológicos”. 

Ao se falar em avanço é preciso também lembrar que o principal avanço é o olhar para o paciente. É pensar para além do que está nos laudos.  

“A maioria dos pacientes que apresentam a bursite podem ter diagnóstico errado. É preciso fazer teste de força muscular, de movimento e artrocinemático. É importante promover o movimento intra articular e ter o macro movimento. É aí que entram Terapias Manuais como a Quiropraxia, por exemplo “, ressaltou o Dr Alex Matos.

A Fisioterapia vai além do que é apresentado nos exames. É essa análise por meio de testes que irá avaliar a abrangência da patologia. Desta forma, será realizada a devida abordagem fisioterapêutica. 

A percepção da dor também foi um dos temas de palestra da Jornada de Fisioterapia. “A partir de 3 meses de dor o paciente passa da dor aguda para a dor crônica. Que no sistema por mecanismo pode ser: Nociceptiva (de músculo esquelética); Neuropática (de trajeto neural); Nociplástica (de sistema nervoso central)” destacou o Dr Alan Costa. Na ocasião, alunos também se voluntariaram para fazer a demonstração de alguns testes.

Infarto e AVC são as principais causas de hospitalização. Essa temática também esteve entre os temas da Jornada de Fisioterapia, nesta última quinta-feira.

“Na insuficiência cardíaca o menor dos problemas é o paciente conseguir andar. A questão é respiratória. Isso ocorre por causa do edema agudo de pulmão que o paciente sofre infarto. Há água extravasando nos alvéolos. (cardiogênico)” informou o Dr Paulo Sá.

Sinais apresentados pelo paciente: dor torácica, turgência jugular e congestão pulmonar.

O edema agudo de pulmão no contexto de Covid é diferente porque o vírus causa uma lesão no pulmão. O tratamento também será diferente.

Ana Célia Costa

Acadêmica de Fisioterapia

Jornalista (DRT 326)

Capacitação para escolher um bom curso de Pilates

Acadêmicos e profissionais da Fisioterapia/Educação Física que procuram um curso de Pilates também pode estudar como escolher e quais são os melhores requisitos para essa capacitação na área. A ideia é das empreendedoras do Studio Flex, Carolina Nóbrega e Daliane Barbosa. Elas são as criadoras da Jornada DEEP PILATES, que será realizada no dias 03, 04 e 05/11, às 20h, no formato on-line e totalmente gratuita.

Segundo informações do artigo “Comparação dos aspectos da autoimagem e domínios da qualidade de vida em idosos praticantes e não praticantes de Pilates em Curitiba, Paraná”:

“A prática de exercícios físicos sem atenção plena leva ao declínio da consciência corporal na vida adulta e idosa, sendo que Joseph Pilates pensava que somente por meio de uma boa educação corporal é que seria possível corrigir os maus hábitos. Por isso, é importante que a educação em consciência corporal seja trabalhada desde cedo, para que ocorra o desenvolvimento uniforme do corpo, vitalidade e maior qualidade de vida no envelhecimento. O praticante do método Pilates aprende a sentir seus movimentos, a ter autopercepção corporal ao executá-los e explorar variações ao mover-se.”

Programação:

Episódio 1: Pilates – O que é e para quem é.
03 de Novembro (Quinta-feira) 12h (Horário de Brasília)

Episódio 2: Como fazê-lo mesmo sem aparelho e o mínimo de investimento.
04 de Novembro (Sexta-feira) 12h (Horário de Brasília)

Episódio 3: O primeiro passo para o ser o MELHOR PROFESSOR – Biomecânica.
05 de Novembro (Sábado) 12h (Horário de Brasília)

Como é realizada a inscrição?

Clique aqui.

Ana Célia Costa

Acadêmica de Fisioterapia

Jornalista (DRT 326)

Falta de reajuste nos repasses da União para o Samu

Embora o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192) seja executado pelas Prefeituras, a responsabilidade é tanto da União quanto Estadual também. Conforme portaria do Ministério da Saúde, 50% do financiamento do Serviço é do Governo Federal e o último reajuste disso foi em 2013.

Quando foi criado?

O Samu foi criado em 2004, no segundo ano do Governo Lula.

Dados

De 2004 até 2016, 3.049 municípios de todos os estados brasileiros já haviam recebido 2.525 ambulâncias básicas, 583 UTIs móveis e 185 centrais de regulação, cobrindo 75% da população brasileira.

Após o auge da pandemia de Covid 19, há necessidade de renovação da frota de ambulâncias. A atual tem em média sete anos de uso, segundo dados do Ministério da Saúde. A Agência Câmara Notícias divulgou que para 2022 o orçamento total destinado ao programa foi de R$ 1,22 bilhão. Isso representou aumento de apenas 1,5% em relação a 2021.

Orientações do Ministério da Saúde:

Em caso de acidente, verifique a quantidade de vítimas, o estado de consciência delas e se alguma delas está presa às ferragens;

Ligue para o 192 e siga as orientações do Médico Regulador;

Sinalize as vias com galhos de arvore e triângulo de sinalização;

Em caso de acidente com motos: não toque nas vítimas e não retire o capacete;

Não dê água aos acidentados.

Ana Célia Costa

Acadêmica de Fisioterapia

Jornalista (DRT 326)

Farmácia Popular: o que é, como funciona, quem será prejudicado com o corte de 60% na verba para esse programa em 2023

O Programa Farmácia Popular terá um corte de 60% no orçamento em 2023, de acordo com decisão do Governo Federal. Essa ação terá impacto na população que faz tratamento de diabetes, hipertensão e asma, além de fraldas geriátricas. Esse corte foi realizado para garantir recursos para as emendas parlamentares do Orçamento Secreto.

O que é o Farmácia Popular?

De acordo com informações do Ministério da Saúde, Programa Farmácia Popular do Brasil (PFPB) é um programa do Governo Federal que visa complementar a disponibilização de medicamentos utilizados na Atenção Primária à Saúde (APS), por meio de parceria com farmácias e drogarias da rede privada. Dessa forma, além das Unidades Básicas de Saúde e/ou farmácias municipais, o cidadão poderá obter medicamentos nas farmácias e drogarias credenciadas ao PFPB.

Quais os beneficiados que podem ser prejudicados com o corte de verba no programa?

O Programa Farmácia Popular do Brasil (PFPB) disponibiliza medicamentos gratuitos para quem faz tratamento de diabetes, asma e hipertensão e, de forma subsidiada para dislipidemia, rinite, doença de Parkinson, osteoporose, glaucoma, anticoncepção e fraldas geriátricas. Nesses casos, o que foi previsto na lei de criação do programa é que o Ministério da Saúde pague parte do valor dos medicamentos (até 90% do valor de referência tabelado) e o cidadão paga o restante, de acordo com o valor praticado pela farmácia. 

Quando foi criado?

Farmácia Popular do Brasil foi criado em 13 de abril de 2004 pela Lei nº 10.858, durante o Governo Lula.

Como funciona?

Para a obtenção dos medicamentos e/ou fraldas geriátricas pelo Programa Farmácia Popular do Brasil (PFPB), o paciente deve comparecer a um estabelecimento credenciado, identificado pelo adesivo com a logomarca do Programa Farmácia Popular do Brasil (PFPB), apresentando os seguintes documentos:

documento oficial com foto e número do CPF ou documento de identidade em que conste o número do CPF;

receita médica dentro do prazo de validade, tanto do SUS quanto de serviços particulares. Para a obtenção de fraldas geriátricas para incontinência, o paciente deverá ter idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos ou ser pessoa com deficiência, e deverá apresentar prescrição, laudo ou atestado médico que indique a necessidade do uso de fralda geriátrica, no qual conste, na hipótese de paciente com deficiência, a respectiva Classificação Internacional de Doenças (CID).

Ana Célia Costa

Acadêmica de Fisioterapia

Jornalista (DRT 326)

Osteogênese imperfeita: a indicação seria de cirurgia ainda na infância

A Osteogênese imperfeita não é uma disfunção na qual o tratamento é feito apenas com suplementação de colágeno. É pertencente a um grupo de doenças genéticas raras caracterizadas pela fragilidade óssea e dos ossos. Popularmente, é conhecida como “osso de vidro”. 

De acordo com o médico ortopedista, Dr. Paulo Su, a indicação seria de cirurgia ainda na infância. Além disso, ele explicou o avanço na área da Medicina e dos possíveis tratamentos em conjunto com a Fisioterapia. “A primeira cirurgia no Amazonas com uso de haste telescopada foi feita no Hospital Getúlio Vargas e depois nos hospitais particulares”, informou. 

A paciente Lorena Moreschi contou sua história no tratamento da Osteogênese imperfeita. Entre outras informações, ela contou da sua primeira experiência com a Fisioterapia e do quanto a primeira abordagem não surtiu os efeitos que ela esperava: Ela também relatou que se pudesse, não teria feito cirurgia antes. “Na Fisioterapia já fiz os ‘choquinhos’ e a hidroterapia. Estou na cadeira de rodas para evitar a fratura de algum osso. Já quebrei as pernas antes. A minha primeira fratura foi durante o parto. Na hora do meu nascimento, o médico me puxou e após isso quebrei o braço em três partes”, contou. 

Lorena é acadêmica de Design, mas também já sonhou fazer faculdade de Jornalismo. Outro paciente também apresentou sua história. Foi o advogado Pedro Silva. “Minha primeira experiência com a Fisioterapia foi em uma Clínica-Escola. Percebi que os alunos tinham receio. Não tinham segurança da abordagem que deveriam ter comigo”, relatou.  

Algumas possíveis ocorrências em pacientes com Osteogênese imperfeita:

– Osteoporose risco de fraturas

– Escleras azuis 

– Dentinogenese imperfeita

– Hiperfrouxidão ligamentar

– COFOSE Diminuição da Acuidade Auditiva

– Sudorese Excessiva

– Deformidade da Coluna Vertebral

– Baixa estatura 

– Rosto Estatura

– Rosto em formato triangular 

– Hipotonia muscular 

As informações foram apresentadas durante palestra promovida pelo Grupo de Pesquisa em Fisioterapia Pediátrica, da Fametro, em Manaus, no Amazonas.

Ana Célia Costa

Acadêmica de Fisioterapia

Jornalista (DRT 326)

Grupo de voluntários vinculado ao Senado arrecada cabelo para confecção de perucas para mulheres e crianças com câncer

Muito além da Estética Capilar estão as ações de um grupo de voluntários vinculado ao Senado Federal. A Liga do Bem está com uma ação para arrecadar cabelo para confecção de perucas para mulheres e crianças com câncer, até quinta-feira (20/10). A mecha de cabelo doada deve ter no mínimo 10cm.

Dados

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), o câncer de mama é o tipo que mais acomete mulheres em todo o mundo, tanto em países em desenvolvimento quanto em países desenvolvidos. Cerca de 2,3 milhões de casos novos foram estimados para o ano de 2020 em todo o mundo, o que representa cerca de 24,5% de todos os tipos de neoplasias diagnosticadas nas mulheres. As taxas de incidência variam entre as diferentes regiões do planeta, com as maiores taxas nos países desenvolvidos.

Para o Brasil, foram estimados 66.280 casos novos de câncer de mama em 2021, com um risco estimado de 61,61 casos a cada 100 mil mulheres.

O câncer de mama também ocupa a primeira posição em mortalidade por câncer entre as mulheres no Brasil, com taxa de mortalidade ajustada por idade, pela população mundial, para 2019, de 14,23/100 mil. As maiores taxas de incidência e de mortalidade estão nas regiões Sul e Sudeste do Brasil.

Como participar?

Há alguns salões parceiros da Liga. É importante ressaltar que os cortes são gratuitos. Você pode ligar para os números 998789107 ou para o 33031127, no horário comercial e agendar o seu corte.

Destinação dos cabelos doados

Os cabelos serão doados à Rede Feminina de Combate ao Câncer de Brasília para confecção de perucas destinadas a mulheres e crianças com câncer.

Sinais e sintomas

Conforme informações do Inca, os principais sinais e sintomas suspeitos de câncer de mama são: caroço (nódulo), geralmente endurecido, fixo e indolor; pele da mama avermelhada ou parecida com casca de laranja, alterações no bico do peito (mamilo) e saída espontânea de líquido de um dos mamilos. Também podem aparecer pequenos nódulos no pescoço ou na região embaixo dos braços (axilas).

Ana Célia Costa

Acadêmica de Fisioterapia

Jornalista (DRT 326)

Ação do Grupo de Fisioterapia Pediátrica em hospital referência de tratamento do câncer na Amazônia Ocidental

Quinze crianças participaram da ação do Grupo de Pesquisa em Fisioterapia Pediátrica (GEFIPE) na Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCECON), nesta sexta-feira. Os acadêmicos de Fisioterapia fizeram parte da programação da festa de semana das crianças.

Além da presença dos acadêmicos usando fantasias, também foi feita distribuição de brindes. Houve música e dança de alguns pacientes. Também foi realizada pintura no rosto. Foram diversos corações, estrelas, casinhas, flores, etc.

Hospital

A unidade hospitalar foi fundada em 1974. É uma Fundação Centro de Controle de Oncologia desde 1989. Possui diversas especialidades médicas e os principais tratamentos oncológicos. É uma referência no diagnóstico e tratamento do câncer em toda a Amazônia Ocidental. 

O GEFIPE é um projeto de Extensão da Fametro. Foi criado há 1 ano e, atualmente, possui 24 integrantes.

Ana Célia Costa

Acadêmica de Fisioterapia

Jornalista (DRT 326)

Campanha da OPAS para apoiar a saúde mental: #FaçaSuaParte

De acordo com estudo publicado na revista The Lancet, os distúrbios depressivos e de ansiedade aumentaram 35% e 32% respectivamente em 2020 na América Latina e no Caribe devido à pandemia de Covid-19. Algumas pessoas desenvolveram patologias durante o após o período de confinamento e/ou tiveram isso como sequela da própria Covid.

Objetivo

Combater o estigma e a discriminação contra pessoas com condições de saúde mental, e promover interações positivas que melhoram a busca por ajuda.

A acadêmica de Fisioterapia, Samya Maquiné tem diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista (TEA) e faz psicoterapia. “O acompanhamento psicológico ajuda muito. Tem coisas que nós não queremos falar com os familiares ou com os amigos próximos. É importante pra se recuperar e ver a possibilidade de melhora”, ressaltou.

O cuidado com a saúde mental faz bem para o paciente e para todos que estão com ele no quotidiano. Esse foi um dos destaques da acadêmica Iasnaya Campos: “Faço tratamento com psicólogo há 9 anos e nos últimos três anos com psiquiatra”.

Ação

Por meio de mensagens nas redes sociais, a campanha #FaçaSuaParte convida as pessoas a quebrarem o silêncio, compartilharem suas histórias e conversarem de forma aberta e honesta sobre como se sentem.

A saúde mental é um direito humano fundamental.

Ana Célia Costa

Acadêmica de Fisioterapia

Jornalista (DRT 326)